terça-feira, 3 de agosto de 2010

Márcio Villar, o homem da DOUBLE BADWATER, parabeniza Pangaré pelo feito em Fortaleza.



Longe de Pangaré o proselitismo.
Quem o conhece sabe que joga aberto, movido historicamente pela transparência, intensidade e lhanheza.
Márcio Villar (na foto abaixo, à esquerda de 'Panga', na RIO SPORT 2009, numa 'apresentação' de esteira de 6 hs) é um camarada que Pangaré conheceu, por telefone, em 2007. No mesmo ano, na Argentina, correram juntos e, por sorte, já que ele teve um comprometimento no joelho, Pangaré chegou na frente. Aliás, nessa prova, estabeleceu  sua melhor marca pessoal em 24 hs, até hoje de pé: 161.482 ms.
Sempre viu nele um batalhador. Um cara que, após a perda do pai, teve ainda mais força pra encarar as adversidades. Venceu a obesidade e está prestes a se tornar, antes mesmo de completar dez anos de atletismo, no primeiro homem no mundo a conquistar a tríplice coroa double das ultramaratonas da morte (BRZ 135, BADWATER e ARROWHEAD), na distância de 217 kms. Isso mesmo: correr 434 kms três vezes, em situações inóspitas e inumanas.
Receber de um camarada como esse a afirmação de que o tem  como uma lenda viva  na  ultramaratona só pode mesmo trazer-lhe um imenso conforto espiritual e um interminável gozo na alma. É o tipo de afirmação que renova o fogo e o fôlego da ultra-distância dentro do cara!

" Panga só consegui fazer os 434 Km no deserto por sorte, tive uma equipe de apoio como nunca vi nada igual, pessoas fantásticas, que não pararam nenhum segundo e quando me viam cansados, colocavam a musica do carro de apoio a toda altura, abriam as portas, dançavam, cantavam me incentivando, o tempo todo, em quanto um vinha amarrar o cordão de gelo no pescoço, outro já vinha com gatorade, o outro me molhando e outro com comida, fui tudo muito perfeito, sem eles eu nunca teria batido o recorde da Double da Badwater, dei sorte ter pessoas especiais ao meu lado, nunca vou esquecer.
Outra coisa que me incentivou muito foi na minha volta, um atleta que disputou a prova e estava indo embora de carro parou e falou comigo, “Siga, siga, você está provando para o resto do mundo que o impossível não existe”, levei essa frase na minha mente até o fim da Double, pena não lembrar que atleta foi para tentar um contato e agradecer.
Como já te falei, cada prova é uma prova e nunca desmereça os 70 Km que fez, lembre que foi para comemorar 30 anos de carreira, quantos atletas aqui no Brasil podem comemorar 30 anos de carreira? Meu amigo você é uma lenda viva. "
Thanks, Márcio!

Postar um comentário

PANGA's SEND!