sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Pangaré é lembrado pelo Diário do Nordeste.

Edição de 20 de Agosto de 2010 

Desafio sob o sol escaldante do Piauí

Neste domingo, pouco mais de 100 competidores de todo o País participarão da I Maratona de Teresina, Piauí. Dentre os competidores, destaque para a presença de atletas com visibilidade no Ceará como Fernando Pangaré. Amadores corajosos também se arriscam sob o calor da prova, como o caso do jornalista Dalwton Moura.

Para tentar amenizar as adversidades, a prova oferece percurso plano e terá largada bem cedo, às seis horas da manhã. A organização promete uma eficiente estrutura de hidratação, com postos de água a cada 3 km e dois postos de bebida esportiva (isotônicos) ao longo dos 42 km, divididos em duas voltas.

Mesmo assim, o desafio é grande, conforme reconhece a produção da prova, a cargo da própria Prefeitura de Teresina. "A princípio também achei a ideia bastante complexa: fazer uma maratona numa cidade onde a temperatura chega com facilidade aos 40 graus?", admite Eduardo Raimundo, educador físico responsável pela organização da corrida.

Entre tantos fatores que podem influenciar na performance dos atletas durante uma prova tão longa, a temperatura é um dos principais desafios.

Ousadia
Segundo, Eduardo em Teresina já existem muitas provas de 5 e de 10 km com sucesso na cidade. "A ideia de uma maratona surgiu como uma ousadia, numa cidade tão quente como a nossa", aponta o organizador.

"É um número que até supera a nossa expectativa. Ficamos satisfeitos, porque isso demonstra que quem está se inscrevendo realmente tem a noção do que é correr uma maratona", argumenta Eduardo.

O organizador destaca que cerca de 50% dos corredores que se alinharão para a largada dos 42 km, que partirá da Ponte Estaiada, se deslocarão de outros estados brasileiros.

"O site da maratona entrou no ar no final de junho. Tivemos uma procura grande de maratonistas de estados como Ceará, Bahia, Maranhão, São Paulo, Rio e Paraná", indica.




Pangaré se manifestou junto ao jornal, agradecendo a lembrança do seu nome:

Saudações Aeróbicas!
Atrasadamente, leio a presente matéria, acerca da Maratona de Teresina, que foi completada apenas por 37 corredores.
Para encurtar a conversa sobre a dificuldade climática do evento, quero só dizer que fiz - ainda assim, fui o segundo em minha categoria etária, o que demonstra o quanto a adversidade da temperatura prejudicou o nível técnico da prova! - 4'04''13 nessa prova - ainda que tenha os meus 43 anos de vida sempre lincados a cidades quentes (Rio e Fortaleza) e seja especialista em provas de 24 hs, o que, em tese, poderia me credenciar a menos susceptível a uma eventual queda de performance -, o MEU PIOR TEMPO nos 42.195 ms, distância que corri 26 vezes, a primeira das quais, em 1985, quando militar da Marinha.
Um forte abraço ao Dalwton Moura, bem como, ao Guto Castro, editor de esporte do DN.
:OBS: Quiçá pior que encarar 40C na Maratona de Teresina tenha sido implementar, em quatro semanas, duas maratonas, um 70 kms e uma meia maratona.


 

Postar um comentário

PANGA's SEND!