domingo, 5 de junho de 2011

Obrigado, Polícia Militar do Rio Grande do Norte.

Vexatória a (des)organização da III Corrida Noturna do SESI. Necessitei de auxílio policial para correr a prova!
Após trinta e um anos de estrada, foi preciso viajar à capital potiguar para tomar algumas lições de hipocrisia, estupidez e insensibilidade...
A mudança no regulamento da prova também foi dolosa (o texto que, hoje, está no ar não é o mesmo do da semana passada!). Havia a informação de que atletas de outros estados deveriam telefonar para o SESI, a fim de definir como retirar seu kit. Por telefone, um funcionário do SESI afirmou que o kit poderia ser retirado antes da prova.
Para minha surpresa, chegando na Praça Cívica 40 minutos antes da largada, fui comunicado que eu não poderia correr, uma vez que o kit havia sido entregue até às 17 hs, que seria o horário-limite para a entrega do material, estando isso respaldado no regulamento, o que logo caiu por terra, à medida que uma funcionária da organização, fazendo uso de um regulamento impresso, verificou que realmente não havia a precisão das tais 17 hs como horário-teto para a recepção do kit que garantiria ao atleta pleno acesso à competição.
Isso posto, foi-me proposto correr a prova irregularmente (algo como um treino/city tour), abrindo mão do direito líquido obtido quando da inscrição no evento.
Nesse instante, dei como necessária a intervenção policial. Acompanhado de dois policiais, após stressantes 30 mins, na hora em que era dada a partida da competição, consegui receber, enfim, meus número e chip.
Restou-me, stressado e desaquecido, sair despinguelado no meio da multidão, em busca do tempo perdido. 
Meus pêsames ao SESI/RN!
A camisa alusiva ao evento, parte integrante do kit, também não me foi entregue, o que se configuraria em um caso para o DECON.
Se houver Federação de Atletismo no RN, ela haverá de se manifestar.
Grato à Polícia Militar, que, em momento algum, me desamparou, dando-me total apoio na resolução da querela.
Postar um comentário

PANGA's SEND!